O CREMATÓRIO MUNICIPAL DR. JAYME AUGUSTO LOPES É MONOPÓLIO DA PREFEITURA DE SÃO PAULO. ESTE PORTAL É PRIVADO E NÃO POSSUI QUALQUER VÍNCULO COM O CREMATÓRIO.
site privado, não possuímos vínculo com o crematório
ATENDIMENTO EMERGENCIAL 24H (11) 3071-1325

Aprenda tudo sobre a terapia do luto

de aleah, 25 de fevereiro de 2021

A dor de perder alguém que se ama é indescritível e o luto é um processo de rompimento e de fim de vínculos importantes em nossas vidas. Para enfrentar esse período de recuperação, é importante contar com ajuda de parentes e amigos durante o processo de terapia de luto.

A dor e a vivência do luto são diferentes para cada pessoa. Nem todas as pessoas irão reagir da mesma forma diante do fim de um ciclo de vida de alguém que se ama. Sendo assim, cada pessoa terá o seu próprio tempo para encarar o processo de luto.

Contudo, durante esse período, é possível identificar as cinco etapas mais comuns a todas as pessoas que passam por esse processo perda. Durante a terapia de luto, é possível identificar em qual etapa do luto a pessoa está.

É importante ressaltar que nem todas as pessoas irão identificar essas cinco fases, podendo reconhecer apenas algumas delas. Enfim, vamos ver mais sobre esse assunto a seguir!!!

As cinco etapas do luto dentro da terapia

As cinco fases do processo de luto são: Negação/isolamento, raiva, negociação/barganha, depressão e aceitação.

Vamos falar de cada uma delas para ficar mais fácil entender como funciona o processo de luto de uma pessoa e como isso pode ajudar na terapia de luto.

  • Negação/Isolamento

Nesse período, a pessoa nega a perda e acaba se isolando com a sua dor. Preferindo ficar mais reservada e ainda não acredita que aquilo seja real.

  • Raiva

Nessa fase, a pessoa costuma sentir muito ódio e até revolta por ter perdido alguém importante em sua vida. Esse sentimento de injustiça é bem comum, bem como, não entender os motivos do porque aquilo está acontecendo com você e não com outra pessoa. 

  • Negociação/Barganha

Essa é a fase em que a pessoa tenta tornar o fim reversível, como se fosse possível negociar a perda. É muito comum nessa fase, a pessoa ter pensamentos do tipo “se eu tivesse feito diferente” ou “se eu fizer diferente”.

Já para os religiosos, é nesse momento que aparece a esperança divina de cura e em alguns casos até de ressurreição. Nessa fase existe também a esperança que será possível reencontrar a pessoa falecida em outro momento da existência após a morte.

  • Depressão

Essa fase é marcada por muitos sentimentos que geram angústias e lamentações, tais, como, tristeza, solidão, debilitação e saudade. Nesse período, o enlutado costuma sentir muita tristeza e acha tudo desinteressante e sem o menor sentido.

  • Aceitação

Esse já é um estágio em que pessoa entende a perda, ela encontra a aceitação do fato de que seu ente querido não irá mais voltar. A partir disso, a pessoa começa a lidar com a perda de uma forma mais leve e menos patológica.

É nesse momento que a pessoa enlutada começa a perceber que ainda existe vida e que é possível continuar. Essa é também uma fase de adaptação de uma nova realidade.

Terapia do luto

A terapia do luto é um tratamento que conta com a ajuda de um psiquiatra ou psicólogo. Durante o tratamento, o profissional ajuda a pessoa a vivenciar todos os estágios do luto e aprender lidar com seus sentimentos, que podem variar muito nesse processo.

Não existe uma fórmula correta ou pré-determinada para lidar com todas as pessoas, pois cada um reage de uma forma. É importante encontrar uma forma de reaprender a viver nessa nova realidade onde aquela pessoa que se foi não estará mais presente.

A terapia do luto também pode ser muito útil em questões práticas, como, por exemplo: o que fazer com os pertences da pessoa que faleceu? Como lidar com as outras pessoas enlutadas e criar uma nova rotina que não desperte memórias dolorosas?

Enfim, esses questionamentos são trabalhados durante a terapia do luto.

O que a terapia do luto pode proporcionar?

A terapia do luto é recomendada para qualquer pessoa que tenha perdido algum parente ou amigo querido. Para o tratamento do luto patológico, a terapia pode ser individual ou em grupo.

Ambas são indicadas e muito e eficazes nesse processo de readaptação. A terapia do luto ajuda a potencializar os recursos individuais dos pacientes, oferecendo a eles o apoio necessário para que o enlutado possa se desvencilhar do isolamento.

Tudo isso pode proporcionar mais consciência sobre o período que a pessoa está passando e deixar ela mais aberta a possibilidades de readaptação de sua vida sem a pessoa que morreu.

As metas da terapia do luto

A terapia do luto ajuda na facilitação da verbalização e expressão de sentimentos e experiências que estão relacionadas a pessoa que morreu. Isso é de grade importância, pois muitas pessoas acabam guardando todos os sentimentos para si mesmo, tornando o luto muito mais doloroso e demorado.

É muito importante colocar os sentimentos para fora para poder conseguir superar. Falar cobre os motivos da morte, seja assassinato, causas naturais ou suicídio, pode trazer muitos sentimentos à tona e pode ser dolorido, mas será importante para gerar o sentimento de aceitação.

Voltar a vida normal após a morte de uma pessoa próxima é algo que requer tempo e deve ser feito de forma cautelosa, um passo de cada vez. Procurar solucionar os problemas cotidianos gerados pelo luto é o primeiro choque de realidade após a morte de uma pessoa.

É interessante falar sobre projeções de um futuro tranquilo. Isso trará ao enlutado uma vontade de realizar atividades que sejam gratificantes, tais, como, um novo trabalho ou algum hobby. A prospecção pode trazer um sentimento de que é possível, mesmo com todas as dificuldades e sentimentos de tristeza, seguir a vida e buscar a felicidade.

Quando devo procurar ajuda profissional?

Ajuda profissional para realizar a terapia do luto é sempre indicada, o quanto antes melhor. Não espere chegar ao estágio patológico, que é quando a pessoa enlutada não consegue ver as coisas com a clareza.

Quando você percebe que alguém próximo do falecido está apresentando constantemente sinais de negação após muito tempo de luto, deixando de lado os compromissos, é chegada a hora de tentar levá-lo à terapia do luto.

Procurar alguém para conversar é muito importante, independente do nível de intensidade do luto. É interessante que a pessoa se desprenda da ideia de que têm a obrigação de passar por tudo sozinha.

O atendimento especializado para pessoas enlutadas funciona melhor quando ela está rodeada de outros que a ama. Isso pode ajudar a seguir em frente.

Não é uma questão de esquecer a memória do ente querido que se foi, mas sim de saber seguir em frente, guardando os melhores momentos que tiveram juntos e continuando a seguir com a vida.