O CREMATÓRIO MUNICIPAL DR. JAYME AUGUSTO LOPES É MONOPÓLIO DA PREFEITURA DE SÃO PAULO. ESTE PORTAL É PRIVADO E NÃO POSSUI QUALQUER VÍNCULO COM O CREMATÓRIO.
site privado, não possuímos vínculo com o crematório
ATENDIMENTO EMERGENCIAL 24H (11) 3230-1959

Conheça a importância do Cortejo Fúnebre no velório

de aleah, 12 de abril de 2021

Saiba mais sobre o Cortejo Fúnebre e como prestar essa homenagem

O cortejo fúnebre é um dos rituais de um funeral tradicional. Ele é tão importante para prestar as últimas homenagens ao falecido quanto para dar um ombro amigo à família nesse momento difícil.

Há diversos rituais feitos no momento do funeral mas o cortejo fúnebre é unanimidade em todas as religiões.

O ato de seguir o caminho do velório até a cova é sinônimo de parceria, união e respeito a passagem do falecido.

Há cortejos que ocorrem em silêncio, entre lágrimas tímidas, e os que são envoltos em músicas e orações que o falecido gostava.

Independente das particularidades de cada família, esse momento une todos em um único objetivo, que é celebrar os bons momentos e desejar uma boa passagem para o que se vai.

Saiba mais sobre o cortejo fúnebre, como funciona, se é obrigatório e como planejar o cortejo dos seus entes queridos. Boa leitura!

O que é o Cortejo Fúnebre?

O cortejo fúnebre é a procissão que os familiares e amigos que participaram do velório fazem até o local em que o caixão será enterrado ou até o crematório.

Há cortejos fúnebres de personalidades famosas que carregam multidões e precisam ser planejados pelas autoridades para ocorrerem.

O cortejo comum, porém, é mais simples do que isso. Normalmente é feito o trajeto da capela até o cemitério ou da sala de velório do próprio cemitério até a cova, sendo o segundo mais comum.

Primeiro ocorre o velório, que dura em média duas horas. Após as últimas homenagens, o caixão é colocado junto às coroas de flores em um carro elétrico do próprio cemitério que, em baixa velocidade, segue até a cova.

Seguindo o carro, os participantes seguem lentamente pelo cemitério até a ala em que o corpo será enterrado.

Normalmente, os viúvos/as e filhos vão à frente do cortejo fúnebre e os demais amigos e familiares seguem logo atrás.

Ao chegar à sepultura, os funcionários do cemitério carregam o caixão e o posicionam próximo a cova. Em algum momento foi considerado simbólico que os homens mais próximos ao falecido carregassem o caixão, hoje ainda há os que o seguem essa tradição.

Nesse momento são feitas as últimas homenagens antes do caixão ser coberto por terra: há os que fazem uma oração, algum discurso e até os que puxam uma salva de palmas.

No caso da cremação, o cortejo é feito do hospital/casa/funerária ou onde quer que o corpo esteja até o crematório de carro, pois o velório no crematório é apenas para os parentes mais próximos.

Cruz em cemitério entre borboletas e flores amarelas

A simbologia do Cortejo Fúnebre

Velório são momentos de tristeza onde a ficha ainda não caiu e os parentes e amigos estão abatidos e cansados. Olhar para o falecido nesse momento é devastador e conter as lágrimas é difícil.

Em alguns casos o velório não tem o caixão aberto para despedida mas nem por isso o momento é mais fácil – saiba mais sobre velórios com caixão lacrado.

Comparecer ao velório e seguir o cortejo fúnebre é mostrar à família a importância da relação que havia com o falecido, e também demonstrar apoio e dar suporte a esse momento.

O cortejo fúnebre até a cova é o momento em que são lembrados os momentos em que o falecido estava presente.

Será comum familiares que ainda estão consternados, é claro, mas para os que estão mais próximos de aceitar a ida, essa hora é quando os abraços mais sinceros são dados e as memórias mais bonitas são lembradas.

Aos espíritas, não há dúvidas de que é nesse momento em que o falecido, presente em espírito, percebe o quanto foi amado e querido durante sua passagem pela terra.

Seguir a procissão do cortejo fúnebre é prestigiar o falecido e estar ao lado da família para enfrentar a nova rotina.

Além do cortejo fúnebre, há diversas outras idéias de homenagens póstumas a serem prestadas neste momento.

Posso ir ao velório e não participar do cortejo?

Esse momento é individual e a única recomendação é a de respeitar seus sentimentos e fazer o que acha melhor.

Está tudo bem em não acompanhar o cortejo. Afinal, há até os parentes que têm o intuito de acompanhar, mas a emoção é tão forte que com o risco de passar mal vão embora após o velório e não seguem até a cova.

Também tem aqueles que visitam a família antes do velório, prestam suas condolências mas não se sentem à vontade para ir até o cemitério prestigiar o velório, há também aquelas que só enviam coroas de flores por não terem disponibilidade para comparecer.

Há pessoas que vão ao velório mas não se sentem preparadas para ver o corpo exposto. Amigos que passam rapidamente, dão apoio a família e logo após vão embora por não querer participar deste momento mórbido.

Desejar pêsames e acender uma vela e fazer uma oração de acordo com a sua religião em casa já é uma ótima homenagem, não se sinta culpado por não seguir o cortejo fúnebre.

Não há regras para viver o seu luto. Isso varia da sua personalidade, religião e da relação que mantinha com o falecido.

Há cortejos em que os filhos e família vão à frente, outros em que os membros da mesma religião tomam a partida do cortejo entoando orações.

Siga seu tempo e entenda seus sentimentos. E se você está passando por um momento difícil, encontre aqui alguns conselhos sobre como lidar com a morte. Espero que te ajude.

Mulher de luta deixando flores em sepultura

Como garantir que todos compareçam ao velório

Normalmente o tempo entre a morte e o funeral é de até 48h. Nesse tempo os familiares devem, além de lidar com a dor, planejar todo o evento para que saia de acordo com os gostos do falecido.

Se o que se foi era assistido por um plano funerário, os detalhes da cerimônia já foram escolhidos previamente e resta apenas saber a data e horário do funeral.

Nesse caso, resta apenas informar a morte e comunicar as informações aos parentes e amigos.

Embora ainda há os que publicam a nota de falecimento no jornal da cidade, hoje a internet envia a notícia de forma muito mais rápida e eficaz.

Crie um comunicado e compartilhe em suas redes, no perfil do falecido também se tiver acesso, fale aos colegas de trabalho, ligue para os amigos não adeptos ao digital e alcance o máximo de pessoas possível.

Se tiver dificuldades de desenvolver uma nota de falecimento, encontre algumas dicas neste artigo.

Comunicar aos amigos também é importante para que os que desejam enviar coroas de flores ao funeral tenham tempo hábil para isso.

O planejamento do velório e cortejo fúnebre

Como todo evento, o velório e o cortejo fúnebre precisam ser planejados para possibilitar que todos compareçam e possam chegar facilmente ao lugar.

Pense que o cemitério precisa ser de fácil acesso a todos os amigos e parentes. Pense também que o horário deve ser comunicado e cumprido pelos funcionários do cemitério, na medida do possível.

Afinal, para enterros em dias de semana o horário é um problema para os que trabalham no momento da cerimônia.

Um cronograma atrasado pode fazer com que os que desejam seguir o cortejo precisem ir embora antes para cumprir compromissos profissionais.

Neste artigo você aprendeu tudo sobre cortejo fúnebre e como prestar essa homenagem.

Para mais artigos sobre como lidar com esse momento triste da melhor forma, assine nossa Newsletter e receba todos os textos em primeira mão.

×