O CREMATÓRIO MUNICIPAL DR. JAYME AUGUSTO LOPES É MONOPÓLIO DA PREFEITURA DE SÃO PAULO. ESTE PORTAL É PRIVADO E NÃO POSSUI QUALQUER VÍNCULO COM O CREMATÓRIO.
site privado, não possuímos vínculo com o crematório
ATENDIMENTO EMERGENCIAL 24H (11) 3071-1325

Como organizar um Culto Fúnebre para o seu querido falecido

de aleah, 20 de abril de 2021

O que é um Culto Fúnebre? Saiba mais sobre essa celebração

Aprenda a organizar um Culto Fúnebre, ato tradicional de religiosos evangélicos para prestar uma última homenagem ao ente querido que se foi.

O Culto Fúnebre é uma celebração realizada pelos evangélicos, que visa a adoração a Deus pela vida e faz parte da transição do falecido para a eternidade.

Essa celebração, praticada por seguidores das diversas ramificações da religião Evangélica, é comumente regida pelo pastor do ministério que o falecido frequentava.

As palavras ditas nesta cerimônia buscam encontrar o coração dos falecidos e lhes enviar paz e tranquilidade para lidar com esse momento tão delicado.

Além disso, membros ativos da igreja são homenageados pelo tempo de dedicação ao templo e a Deus, e a pregação é personalizada para exaltar as obras feitas em vida.

Aprenda mais sobre como é feita essa homenagem, dentro e fora das igrejas, e como organizar uma para o seu ente querido.

O que é um Culto Fúnebre e como é celebrado um?

O Culto Fúnebre não possui regras, contudo é comum que seja realizado no velório ou no momento do sepultamento, com todos os parentes e amigos presentes para enviar boas energias ao falecido e prestar condolências à família.

Aqui estamos falando sobre o Culto Fúnebre Evangélico, mas há também cultos para falecidos que não eram praticantes de qualquer religião. O objetivo é homenagear e dedicar belas palavras para o ente que faleceu.

É claro que o culto celebrado para o finado que não segue a religião terá uma abordagem diferente e própria, de acordo com o que a família deseja.

Quem organiza o Culto Fúnebre?

A família é quem organiza e divulga o culto fúnebre entre todos os conhecidos do morto. Em casos nos quais a família está transtornada demais para organizar essa parte do velório, os membros da igreja podem tomar a frente para que a última homenagem seja prestada.

Inclusive, é justamente por ser organizado pelos mais próximos que a homenagem não é feita somente para os que eram seguidores da religião em vida: os parentes conhecem o falecido e sabem que, independente da sua disponibilidade para seguir a religião, era temente a Deus e seu espírito receberia bem a homenagem.

Homem sentado com Bíblia nas mãos

Como é feita a pregação?

A religião evangélica é conhecida pelas suas pregações informais, com temas atuais e sem muitas regras, além da adoração a Deus.

Mas, há pastores que são conhecidos pelos seus sermões super divertidos e trazem leveza ao momento. Cada pastor tem seu estilo de se fazer entender com as palavras de Deus, então tudo o que diremos aqui pode mudar de pregador para pregador.

O pastor normalmente inicia esse tipo de pregação falando sobre vida, e não sobre morte. Ressalta que a morte é nada além de um momento de transição e que os justos e tementes a Cristo irão gozar da vida eterna e do paraíso.

Como a homenagem não fala sobre morte, as palavras do pastor também passeiam pelas obras que o falecido fez em vida.

Onde nasceu, seu trabalho, seus amigos, suas conquistas e memórias mais queridas. O pastor exaltará a bela família que o finado constituiu, o bem que fez em vida e as lembranças que ficarão.

Para os evangélicos, algumas passagens do testamento poderão ser lidas. Para os não crentes, o pastor também faz uma homenagem significativa sobre o corpo que agora volta à terra.

Após isto, é feita uma palavra de consolação para aquecer o coração da família.

Para saber mais sobre como é feita esta pregação, confira um sermão para culto fúnebre feito pelo Pr. Josias Moura.

Cuidado com as palavras

É difícil dizer algo nesse momento, e a escolha errada de palavras pode acabar com todo o clima benevolente dessa celebração. E alguns pastores são conhecidos pela informalidade e por “não ter papas na língua” na hora da cerimônia.

Assim, pode ser que, ao tentar trazer um ar de leveza à situação, a pregação passe um pouco do ponto na informalidade e familiares e amigos sintam-se desconfortáveis.

Assim, é recomendável que o pastor seja sensível a esse momento,mas, se você que é o responsável pela organização do culto está apreensivo, comunique isso ao pastor e dite algumas regras a serem seguidas.

É importante também deixar as preferências do morto em evidência. Se há alguma palavra que ele gostava ou um louvor que vivia cantando, diga ao pastor e torne essa homenagem ainda mais especial.

Dê também espaço para os familiares falarem suas últimas palavras. Peça para que preparem uma última homenagem e, se sentirem aptos a falar, que deixem a emoção tomar conta desse momento.

Culto Fúnebre no velório de cremação?

Se a decisão estiver de acordo ao que é pregado no ministério, então o pastor fará a cerimônia sem problemas.

Mas, de acordo com a Bíblia Sagrada, o povo de Deus não deveria ser cremado.

A palavra que ressalta isso é 1 Cor 3,16-17, onde Deus diz que “o Templo de Deus é Santo, e o templo soi vós, se alguém destrói o Templo de Deus, Deus o destruirá”.

Claro que há exceções, afinal a palavra de Deus é interpretada e reinterpretada diariamente em cada religião cristã.

Não há uma resposta clara e objetiva sobre o tema, e os evangélicos hoje são cremados [5] sem grandes polêmicas a respeito. Cabe à família decidir o que faz sentido com sua fé.

Homem e mulher em cemitério vendo foto do morto

Culto Fúnebre em momento de pandemia: fazer ou não?

Se os velórios e sepultamentos estão ocorrendo como de costume, os cultos fúnebres também podem seguir normalmente.

Siga todas as normas sanitárias, evite lotar a sala de velório e, se possível, convide apenas os amigos e familiares mais próximos.

Uma dica para evitar que o Pastor tire a máscara para erguer a sua voz é verificar se na sua sala de velório possui microfone.

Aqui cabe o bom senso: mantenha um volume que seja o suficiente para se fazer ouvir pelos presentes, mas que não atrapalhe os funerais ao lado.

Como organizar um Culto Fúnebre

Caso o culto seja somente entre os membros da igreja, basta declarar a sua vontade ao Pastor e divulgar a data entre os fiéis.

Se for em um velório ou sepultamento, você precisará se preocupar com:

  • Solicitar ao pastor sua disponibilidade para comparecer ao velório;
  • Ceder informações sobre o finado para que o pastor crie seu sermão;
  • Escolher o cemitério;
  • Comunicar aos amigos e familiares a data e horário.

Como todo evento, o velório precisa ser pensado para que todos possam comparecer e encontrar o local com facilidade.

O cemitério precisa ser de fácil acesso a todos os amigos, parentes e irmãos de fé. O cemitério mais próximo à igreja que o finado frequentava é o ideal.

Pense também que o horário deve ser comunicado e cumprido pelos funcionários do cemitério, na medida do possível.

Cultos Fúnebres em que o pastor, no momento do sepultamento, coloca algumas pétalas de flores na cova. Verifique com ele se é necessário flores, terço ou qualquer outro material.

Após isso, basta apenas deixar a emoção tomar conta e se despedir do seu amado ente querido que está fazendo sua transição para a eternidade em Cristo.

Gostou de saber o que é um culto fúnebre e quer receber mais artigos como esse? Inscreva-se em nossa Newsletter e seja o primeiro a receber em seu e-mail!