Curiosidades sobre a cremação

Entenda como é realizada e todas informações sobre esse processo que vem crescendo no Brasil.

Embora falar sobre a morte ainda seja um tema complicado para se lidar, cada vez mais vem sendo tratado com normalidade em meio as famílias.

Sendo um momento cercado de decisões que devem ser tomadas ainda em vida, sendo assim certo de que suas vontades serão cumpridas pelos familiares, como o desejo de ser cremado.

E a cremação, antes pouco comentada no Brasil, devido ser um considerado um processo considerado caro, hoje conta com mais de 100 crematórios por todo o país e diversos deles com baixo custo, para que todos possam ter acesso ao serviço.

E logo, a decisão entre o sepultamento ou a cremação passou a ser uma realidade, já que deve ser acordado em vida com os familiares essa escolha para que a mesma possa ser realizada posteriormente.

E pensando nisso, falaremos aqui sobre diversas curiosidades do processo de Cremação, esclarecendo dúvidas e mitos sobre o assunto, contudo, entenda primeiro como é realizado esse processo.

Começando pelo velório, onde acontecem as últimas homenagens dos familiares e amigos ao ente querido. Cada cerimônia possui um tempo estipulado pela família e crematório, sendo permitido corais, rezas e músicas de acordo com a vontade dos familiares.

Ao término do velório, o caixão é fechado e levado para o local onde será feita a preparação do corpo para a cremação, sendo já sem a presença dos familiares e amigos.

Após esse processo o corpo é colocado em uma câmara de cremação e exposto a chamas intensas, chegando a atingir uma temperatura de até 1.800 graus, devido a nenhuma célula em nosso corpo aguentar ser submetida a essa exposição de calor.

Costuma ter uma duração de 3 horas, que varia de acordo com peso do falecido e o tipo de caixão em que é colocado para entrar na câmara.

História da Cremação

Há registros de que a primeira cremação ocorreu a cerca de 25.000 anos, e ficou conhecida como a “Senhora de Mungo”, ela foi cremada no estado de Nova Gales do Sul (Austrália), as beiras do Lago Mungo, este que deu origem ao seu nome popularmente conhecido.

Sendo um dos processos mais antigos realizados pelo homem, era praticado de forma recorrente por civilizações mais antigas, tais como a grega por volta de 1.000 A.C e a romana em 700 A.C.

O Japão, sendo hoje o país com a mais alta taxa de cremação entre os habitantes, teve a chegada do processo no país no ano de 552 D.C, impulsionado por conta dos poucos locais para sepultamento que existiam na época.

Além disso, em 1867 foi criada uma lei que obrigava a cremação em casos de mortes decorrentes de doenças contagiosas para que aumentassem o controle sanitário do país e diminuíssem os sepultamentos realizados, logo, ocorrendo um maior controle do uso da terra.

Religiões 

Mesmo sendo atualmente uma prática comum em todo o mundo, a cremação ainda segue não sendo aceita em algumas religiões devido às crenças das mesmas, tais como:

  • Islamismo
  • Candomblé
  • Judaísmo

Há exemplos como a religião católica, que em 1886 proibiu terminantemente que seus seguidores fossem cremados após a morte, tendo liberado a prática somente quase um século depois, no ano de 1963.

Além disso, em algumas regiões a cremação é um processo obrigatório, por acreditarem que dessa forma a alma estará purificada e assim se libertando do corpo, seguem essa prática, religiões como o Budismo e Hinduísmo.

Meio Ambiente

A cremação além de ser considerada um processo moderno, é também uma prática mais ecológica, devido não gerar nenhum tipo de resíduo que possa ocasionar a contaminação do meio ambiente, além dos gases emitidos não serem poluentes e o gás carbônico liberado ser em baixa quantidade.

Diferentemente do processo tradicional do sepultamento que em alguns casos ocorre a contaminação dos lençóis freáticos, além de emitir substâncias poluentes ao solo e atmosfera.

Quanto custa a cremação?

Atualmente o processo de cremação tem um custo que varia entre R$290,00 a R$17.000,00 de acordo com o crematório Vila Alpina. Sendo esse valor referente apenas a cremação do corpo, não incluso serviços como o caixão, velório e o translado até a cidade onde existe o crematório.

Na cidade de São Paulo, como exemplo, quando realizado pelo serviço municipal custa em média R$800,00 a cremação, já em crematórios privados, o valor é de aproximadamente R$3.000,00.

Igrejas

Há algum tempo, diversas igrejas estão permitindo a presença da urna com as cinzas do falecido em missas litúrgicas, mediante solicitação da família e autorização do bispo local.

A necessidade de que tenha a confirmação do bispo é devido as regras e permissões de cada igreja para o local e momento onde serão colocadas as cinzas, portanto, caso seja de interesse da família realizar a cerimônia com as cinzas presentes, devem entrar em contato previamente com as autoridades religiosas da igreja escolhida.

Cinzas em Árvore
Ainda sendo uma prática desconhecida por uma grande parte da população, mas sim, é possível que as cinzas do falecido se transformem em uma árvore.

Chamadas de bio-urnas, elas são compostas por uma cápsula que na parte superior permite a germinação e crescimento da semente e na parte inferior onde são colocadas as cinzas.

O processo começa com a germinação da semente ocorrendo de forma separada das cinzas, mas conforme se dá o processo de decomposição da cápsula, as raízes da árvore em fase de crescimento começam a entrar em contato com as cinzas, sendo possível até mesmo que previamente seja escolhida a espécie da árvore.

Permissões para a cremação

Para que o desejo do falecido de ser cremado seja colocado em prática, são necessários alguns documentos para a regularização e autorização da cremação.

  • Declaração de Vontade

A pessoa deve manifestar esse interesse em vida para seus familiares, por meio de uma declaração de vontade, feita com seu próprio punho, e entregar para algum familiar, além de registrar a mesma em cartório.

  • Em Caso de Morte Violenta

A cremação só poderá ser realizada por meio da vontade dos familiares e permissão de uma autoridade judiciária.

  • Cremação sem a declaração de vontade

É preciso a autorização de um parente de primeiro grau e também que não tenha tido nenhuma manifestação em vida do falecido contra a cremação. Além disso, é obrigatória a assinatura do atestado de óbito por dois médicos.

Cremação de animais

Atualmente uma prática que vem se tornando comum é a cremação de animais, além de tornar o momento de despedida menos doloroso, permitindo ainda que os donos levem para casa as cinzas do pet, é também um processo mais ecológico.

Além disso, em casos do falecimento do animalzinho por doenças contagiosas, a melhor opção se torna a cremação, trazendo segurança e um fim honroso ao animal.

É possível realizar a cremação coletiva, cremando o pet juntamente com outros animais ou a cremação individual, que após o processo os donos podem levar as cinzas em urna personalizada. A certidão de óbito e atestado de cremação são emitidos em ambos.

Para realizar a cremação de animais os preços variam entre R$150,00 e R$750,00 indo de acordo com o porte do animal (pequeno, médio ou grande).

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *