O CREMATÓRIO MUNICIPAL DR. JAYME AUGUSTO LOPES É MONOPÓLIO DA PREFEITURA DE SÃO PAULO. ESTE PORTAL É PRIVADO E NÃO POSSUI QUALQUER VÍNCULO COM O CREMATÓRIO.
site privado, não possuímos vínculo com o crematório
ATENDIMENTO EMERGENCIAL 24H (11) 3230-1959

Sepultar ou enterrar: aprenda as diferenças!

de aleah, 23 de dezembro de 2020

Com certeza um dos momentos mais difíceis na vida de uma pessoa é perder alguém que se ama. Mas, infelizmente, mesmo nesses momentos de fragilidade emocional, é preciso tomar algumas decisões relacionadas à despedida. Aí entra a questão que muita gente se pergunta: sepultar ou enterrar?

A verdade é que muitos não sabem a diferença entre esses dois termos. Por isso, no texto de hoje, preparamos uma matéria especial para esclarecer todas as suas dúvidas sobre esse assunto. Confira!

Quais as diferenças entre os termos enterro e sepultamento?

Teoricamente os termos são considerados sinônimos. Mas, na verdade, eles possuem algumas diferenças significativas. O enterro, como o próprio nome sugere, diz respeito apenas ao ato de enterrar a pessoa falecida, sem que exista necessariamente um espaço adequando para isso.

Já o sepultamento se refere ao ato de colocar o corpo do falecido dentro de uma sepultura, que é um local estruturado, que serve para acondicionar o corpo do falecido enquanto ele recebe as últimas homenagens.

Hoje em dia, a palavra enterro está entrando em desuso. Inclusive, enterrar corpos de pessoas fora do cemitério, é considerado crime pela legislação brasileira. Por isso mesmo esse termo está sendo pouco utilizado.

Portanto, o mais correto é falar sepultamento, que é um processo que envolve um trabalho profissional. A sepultura pode ser o caixão ou mesmo a urna funerária, no caso de quem escolhe a cremação.

Além do enterro, existem ainda outros processos que são oferecidos, como, por exemplo, a tanatopraxia. Essa é uma técnica usada para conservação de corpos, incluindo a maquiagem para falecidos.

Com isso, podemos dizer que, quando alguém morre, se a família fica em dúvida sobre sepultar ou enterrar, o mais correto seria dizer sepultar. Mas ambos os termos servem para se referir ao processo de sepultamento.

Surgimento do sepultamento

Atualmente, o sepultamento é o termo e procedimento mais adequado quando alguém morre, mas nem sempre foi assim. Na pré-história, o mais comum eram os enterros, principalmente para evitar a aproximação de animais. Isso porque os homens eram nômades e, por não estabelecerem um único local para viver, eles sempre tinham que estar alerta aos perigos.

O ato de sepultar os mortos começou a ser realizado com o surgimento das igrejas. Antigamente, era comum pessoas importantes serem sepultadas dentro desses locais. Os sepultamentos nas igrejas eram muito comuns também no Brasil, até meados dos anos de 1820.

Entretanto, na Europa, os sepultamentos nas igrejas deixaram de ser realizados dentro das igrejas no século XIV por conta da Peste Negra, que matou muitas pessoas. Dessa forma, passou a não ser mais possível sepultar tanta gente dentro das igrejas. Foi daí, então, que começaram a surgir os enterros em massa.

Hoje sabemos que os indígenas tinham seus próprios costumes de sepultamentos. Muitos desses cemitérios são encontrados em escavações históricas. A maior parte deles possuía cunho religioso.

O sepultamento é realizado em praticamente todas as partes do mundo. Contudo, existem algumas diferenças culturais que são específicas de alguns lugares. A cremação é muito mais comum em países asiáticos, por exemplo.

Agora que você sabe quando usar as palavras sepultar ou enterrar, aprenda a organizar as últimas homenagens a uma pessoa falecida.

Ritual de despedida

O ideal é que a despedida seja de acordo com o que a pessoa falecida gostaria que fosse. Então, nesse momento, é importante lembrar se o ente ou amigo que faleceu já havia falado sobre as suas preferências na hora da despedida.

Existem alguns casos em que a pessoa deixa um documento chamado de Declaração de Vontade, que deve ser legitimado em cartório, onde a pessoa deixa claro suas vontades no ato de sepultamento.

Se não existir esse documento com as instruções, a família deverá tomar as decisões relacionadas ao sepultamento. Portanto, é importante a pessoa esclarecer sobre esses assuntos ainda em vida.

Os familiares terão que decidir sobre a sepultura e sobre todos os processos que envolvem a despedida, tais, como: o caixão, a decoração, o local, o destino do corpo etc.

Mesmo nos casos em que a pessoa é cremada, ainda existe a necessidade de comprar um caixão, pois o corpo será cremado junto com ele. Depois, ainda se deve comprar a urna para as cinzas.

O procedimento antes do velório

Quando se fala em sepultar ou enterrar, muitas vezes não se pensa na questão do velório como um todo. Mas, no Brasil, o velório é uma tradição cultural e também é uma etapa importante para se despedir das pessoas que morrem. Isso porque esse momento ajudam as pessoas a se despedirem e sofrerem menos com o processo de luto.

A família deve tomar várias decisões sobre como o corpo será velado, sobre a ornamentação, sobre o caixão e por aí vai. Muitas vezes a família tem que decidir sobre a apresentação do corpo, se o caixão ficará aberto ou fechado durante o velório, dentre outras coisas. Com base nisso, será possível decidir sobre as roupas e as maquiagens necessárias.

A homenagem

A família poderá contratar serviços especiais para realizar a última homenagem ao falecido. Existem diversos tipos, como, por exemplo, leituras de trechos da bíblia, músicas especiais, chuva de pétalas, carro para o translado e buffet.

Todos esses detalhes podem ajudar a tornar esse momento de despedida mais leve e menos complicado para todos os participantes.

A história do ritual do velório

Na Idade Média, os pesquisadores descobriram que a população passou a velar os corpos de seus entes queridos. Como na época não havia luz elétrica, o ambiente era iluminado por vela. Daí surgiu o termo velório.

Como mencionamos anteriormente, depois do surgimento das igrejas, além dos mortos serem velados nesses espaços, eles ainda passaram a ser sepultados nesses locais.

Contudo, esse honraria era apenas para as pessoas mais importantes da sociedade. As pessoas comuns eram enterradas em covas. Mas, de lá pra cá, muitas coisas mudaram, principalmente, com o aumento populacional. Com isso, consequentemente, aumentou-se o número de pessoas que morrem todos os dias.

Com esse crescimento populacional, seria impossível enterrar toda pessoas nas igrejas. Então, hoje em dia, os cemitérios são planejados para comportarem uma enorme quantidade de pessoas falecidas. Em alguns, por exemplo, existem até capelas onde podem ser realizadas missas de despedidas.

Você já sabia a diferença entre os termos sepultar ou enterrar? Sabe mais alguma coisa relacionado com esse assunto? Conte pra gente nos comentários!

×